segunda-feira, 28 de outubro de 2013

BÁRBARO



"Não lute contra um bárbaro, ensine-o a compassividade"
Autor: Jostly

sábado, 26 de outubro de 2013

SURDEZ


Nasci com deficiência auditiva
Nem por isso sinto-me diminuído
Não me diferencio de ninguém nesta vida
Por faltar-me um dos meus sentidos.

 Apenas não tenho o privilégio de ouvi
Coisas que vejo e não posso escutá-las
Queria ouvi, o som da chuva ao cair
Umedecendo o solo e plantas orvalhar.

Queria ouvi o bater de asas do beija-flor
 Pairando sobre as flores para se alimentar
E os alegres pássaros nas árvores a cantar
Das abelhas, seus zumbidos ao néctar coletar.

 Harmoniosos sons instrumentais de música tocar
Queria ouvi de você à noite deitados no tálamo
Sua boca dizer em tom normal de voz “eu te amo”
Sem que aparelho auditivo precisasse usar.
 Autor: Jostly

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

PENSAMENTO


" O homem que não pensa, desconhece sua própria existência"
Autor: Jostly

sábado, 19 de outubro de 2013

TARDE DEMAIS



Quando disse-lhe que te amava
Você meu amor, desacreditou
Quando te pedir que me amasse
Você nem ligou.

Agora que eu não te amo mais
Você diz que me ama!
Agora que você me ama, eu não te amo mais.

Quando chorando dizia que te amava
Você meu amor, ria.
Quando chorava por amor, meu bem
Ah! Eu sofria.

Vejo-te chorando dizendo que me ama
Encho-me de alegria!
Porque quando eu quis, você não queria.
E agora vem dizendo que me ama, dane-se!

Pode chorar não vai adiantar
Suas lágrimas, não vão me comover.
 Comparadas as minhas, são poucas.

Pra você vê o quanto dói um “não”
Só se sabe o valor de uma perda sofrendo
Só agora enxergou o amor?
Agora é tarde demais.

 Você deu muita sopa para o azar
Não vá me culpar
Pelo seu sofrimento
Apenas chegou o seu momento. 

De pagar pelo preço da rejeição
E isso dói meu amor, eu sei
O quanto é doloroso um “não”
Mas, a gente aprende a lição.

Não fará com outrem amanhã
O que fez comigo hoje.
Aí está sua evolução.

Já aprendi com você
Já fui seu aluno
Agora sou seu professor
Aprenderá as lições do amor.

Um dia a gente zomba do amor
No outro o amor zomba da gente
Pois, aí está tudo que aprendi
Tudo o que você me ensinou.

Porque agora você é um aprendiz
Enquanto que sou seu professor
Dói muito, né? O que me diz?
Só porque te amava e você não me amou.
Autor: jostly

terça-feira, 15 de outubro de 2013

BELOS TRAÇOS


"Nem o tempo consegue apagar completamente, os traços da beleza  duma bela mulher,ela nasce e morre com eles"
        Autor: jostly

sábado, 12 de outubro de 2013

INFÂNCIA


Jubiloso a brincar
Peralteando a sorrir
Eu era sempre assim
Correndo aqui e acolá.

Nos olhos, o brilho da esperança
Nos lábios, um sorriso infantil
Sorriso que ninguém mais viu
Pois, já não sou mais criança.

Os braços maternos
Eram meus escudos
Que me davam refúgio
Na hora do brado paterno.

No tempo que eu era menino
Deitava no colo materno
Nele adormecia sutil
Tranquilo e despreocupado, meu sono pueril.

Só uma coisa me preocupava 
Era a ausência maternal
Pois, era prejudicial
A minha felicidade perfeita.

Aquele que fora criança um dia
Hoje é homem formado
Mas, se pudesse voltar ao passado
Ah! Eu voltaria.

Para adormecer naquele colo,
Que melhor não havia
Meu sono de criancinha
                                                  Profundo e tranquilo.                                                                                                                               
Agora já estou crescido 
E sinto saudade do tempo
Ah! Que bons tempos!
Aqueles que eu era menino.
Autor: joslty

domingo, 6 de outubro de 2013

ACIDENTALMENTE CEGO


Sou cego de cegueira incurável
Não nasci cego, mas, cego hei de morrer!
Com minhas visões imaginárias
Nesse escuro mundo de escuridão implacável.

Esses meus olhos, hoje inválidos
Já viram coisas de encantadora beleza
Maravilhosas de esplêndida alteza
Hoje só vivem lôbregos e lacrimejados.

Se pudesse escolher entre cego e surdo
Surdo, mil vezes preferia ser,
A ser cego, tudo ouço e nada vejo
Desse fascinante colorido mundo.

Nas profundas trevas tenebrosas
Pergunto-me ouvindo vários arpejos
Para quê olhos, se eles não enxergam
A formosura das cores cautelosas?

Do rio, incolores águas eu vi correrem
Rumo sua infinita e salgada moradia
Coloridas aves que catam em harmonia
Ocultaram-se na escuridão miserável.

Os astros no céu, eu ficava a contemplar
Como eram virtuosos e reluzentes!
Brilhavam numa cor d'ouro fascinante
As estrelas, a lua e a luz solar.

Tudo que dantes vi, era belo e meigo
Os coloridos jardins de flores calmas
E as delicadas faces das belas damas
Vieram a desaparecer, num triste mundo negro.

Ah! Como eu queria rever
A luz do dia, a beleza natural
Os astros no espaço sideral resplender
O sol se pôr, nascer.
Autor: Jostly

terça-feira, 1 de outubro de 2013

RELACIONAMENTO PROIBIDO


Conheceram-se e se apaixonaram
Queriam um amor verdadeiro
De intensa felicidade, casal primoroso
Pais preconceituosos, namorar não deixaram.

O tempo passava e não podiam se ver
O amor aumentava não podiam conter
Era muito forte para esquecer
Seus pais não deixavam o amor florescer.

De tanta tristeza, já não tinham sorrisos
A saudade causava-lhes uma grande ferida
A solidão os agonizava, só há uma saída.

Envenenaram uma taça com bebida
Ingeriram o líquido envenenado, 
Partiram desta vida, foram ser felizes no paraíso.
Autor: Jostly

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...