segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

PALAVRAS AO VENTO



Não marca hora nem momento
pode ser de dia ou à noite
Palavras soltas ao vento
dói como golpes de açoite.

Não se sente os pés no chão
nem queremos acreditar
o amor de imensa ingratidão
copiosamente faz chorar.

Aquilo que machuca não se esquece
fica tatuado n'alma pra sempre
nenhum vislumbre de alívio, os olhos sentem
Quando um amor se vai, ele permanece.

Nos falta voz, o fôlego enfraquece
quando palavras soltas ao vento,
De lágrimas, os olhos escurecem
surpresa ingrata, um baque violento.

As palavras se calam, o sorriso entristece
o coração ora forte bate, ora bate lento
As lágrimas que caem, a boca umedece
quando são ditas palavras soltas ao vento.
Autor: Jostly

domingo, 15 de dezembro de 2013

O QUE SERÁ...?


Que coisa é essa que sinto
Pulsando em meu peito?
O que é isso que me espanca
Por dentro assim desse jeito?

Deixa-me inseguro e silencioso
O que será? Saudade? Eu não sei
Que queima por dentro, esfola meu peito
O que deve ser, amor?  Talvez.

Deixa-me perplexo, me faz viajar
Causa-me distração, me faz arrepiar
Desejo esmagador, ardente e impetuoso
De vê-la, torna-me frágil e temeroso.

Vontade incontida e desesperadora
Que alucina, fico ansioso por beijá-la
Coisa medonha e avassaladora
É essa coisa demente de amar.

Irrita-me e ao mesmo tempo me acalma
Que causa insônia aflige e entedia
Faz rir e ao mesmo tempo chorar
Que cala e faz gritar, perturba a alma.

Sufoca o coração de tanta aflição
Deixa-me incompleto e desassossegado
Se não a tenho fico entristecido
Se a tenho, sinto-me felicitado.

O que será que me destrói interiormente?
Se for saudade, acabará brevemente
Ao vê-la de lábios sorridentes
Se for amor, permanecerá eternamente.

Isso que me flagela, faz desejá-la
Congela minha alma, faz suspirar
Quero abraçá-la, quero amá-la!
Enlouquece, excita e entristece.

O que me deixa enfraquecido, o que será?
Se for saudade, morrerei aos poucos
Se for amor, morrerei por dentro
Se você não regressar.

O que será que causa-me tudo isso?
Se for saudade, de tanta alegria
Meu coração transbordará
Se for amor, de tão feliz minha alma sorrirá
Quando você chegar.
Autor: jostly

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

MOMENTOS



A vida é feita de momentos tristes e felizes; os felizes para esquecermos os tristes e os tristes para lembrarmos os felizes”
Autor: jostly

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

ORGULHO NEFASTO

Aonde quer chegar com esse orgulho imundo
Humano de mente mórbida e doentia?
Por que persiste com esta rebeldia?
Pare com esse comportamento nauseabundo.

O que teus olhos hoje veem amanhã não mais verão
O fausto que tens hoje, amanhã não mais terá.
A boca asquerosa que diz asneiras, amanhã se calará.
Goze dos teus ouvidos hoje, amanhã não mais ouvirão.

A fortuna que tens hoje, amanhã outrem se apossará.
Para dividi-la entre teus parentes, inimizade imperará.
Porque em teu sublime ataúde, jamais conseguirá levar.
O corpo que vestes hoje, amanhã em pó se desintegrará.

Abra teu olho humano desumano
Ajude teu próximo que por ajuda clama
Suavize o sofrimento duma alma
Que a tua livrar-se-á das garras do demônio.
 Autor: Jostly

domingo, 1 de dezembro de 2013

MOTORISTA DE TRANSPORTE PÚBLICO



 Mais um dia começa em São Paulo, sair cedo de casa para ir trabalhar não é tarefa fácil porque só de imaginar o que nos aguarda no caminho é desanimador, é tão ruim deixar a nossa aconchegante caminha quente! Ô coisa boa é estar debaixo do cobertor quentinho sem ter que se preocupar com nada, falando assim dá até sono, não é mesmo? Que maravilha! Bora acordar para a vida rapaz, está pensando o quê? Tem que ir trabalhar! Desculpe ter te assustado. Eu dizia, a começar pelo mau tempo, trânsito já faz parte desse cardápio tão indigesto. É certeza que vamos ter dor de barriga com ele. 

Até aí digamos está regular. Péssimo mesmo é quando se associa tudo de uma só vez, como se os deuses estivessem irados conosco, querendo que a gente pague os nossos pecados em um só dia, aí é de lascar com a vida do pobre infeliz. Sabe aquele dia que você já sai sob um dilúvio, chega ao ponto de ônibus e o maldito demora uma eternidade para passar e quando vem está tão abarrotado que você não consegue entrar, tem que esperar o próximo e quando consegue pegar, além de ir em pé, você mal consegue se segurar, passa horas na mesma posição incômoda devido ao trânsito que não flui e fica tudo parado! Aí já viu né? Começa a doer seus braços, seus pés você já nem sentem mais. Que situação! Fala a verdade.

 Bom, se você pensou que passar por isso tudo é algo tão terrível que chega a ser o limite do estresse para um ser humano, pensou errado meu amigo, pior que isso é só vida de motorista de transporte público, ô injustiça que fazem com os coitados, além de estar passando pelos mesmos problemas que a gente, ainda ouvem cada desaforo! Eles só têm uma pequena diferença em comparação com o nosso padecer, a gente sofre em pé enquanto que eles sofrem sentados. Em meio aquele povo todo que ele carrega, tem sempre alguém descontente com a língua afiadíssima para criticar o modo de trabalhar do condutor de "sardinhas enlatadas". 

O perfil na maioria das vezes é sempre o mesmo, uma senhora rabugenta e que já entrou na menopausa e que já não desfruta mais dos prazeres da carne para aliviar o mau humor. Se o motorista quer adiantar a viagem quando é possível porque raramente o trânsito o deixa fazer, ouve-se ao fundo aquela voz enfurecida reclamar: 
- Motorista seu filho de uma égua, tu não tá levando sua mãe aqui dentro não viu, aquela vadia. Ele aguenta firme e finge que não escutou. Logo à frente, uma curva mais acentuada, ele reduz a velocidade e tenta ser o mais suave possível. Ouvi novamente uma voz feminina lá do fundo do ônibus dizer: 
- Ô seu corno, tu não tá levando boi aqui não, viu!. O motorista respira fundo, conta até dez e continua calado, porém, já com o sangue subindo-lhe a cabeça.
 Pensa consigo mesmo: “Vou reduzir, se essa filha da puta me xingar de novo, dizendo que estou muito lento, Ah! aí ela vai ver só o que eu vou fazer”

Como ele havia pensado assim o fez. De 50 km por hora diminui pra 30 km. Foi indo e ninguém mais falava nada, problema resolvido e ponto final, pensou ele até meio aliviado das ofensas digeridas com dificuldade. Os semáforos sempre fechavam e o impedia de seguir viagem, tinha que parar aqui e ali, o tempo parecia passar depressa demais e a viagem acaba ficando um pouco demorada devido as constantes pausas. Ainda estava com aquela fala zumbindo nos seus ouvidos bem lá no tímpano, reconheceria aquela maldita voz facilmente caso a ouvisse de novo. Eis que, não demorou muito, ele começou a ouvir murmúrios.

 Foi aumentando e um grito masculino ecoou: 
- Anda motorista, pé de chumbo! ”. Agora o som parecia vim do meio do ônibus e os comentários ofensivos não cessavam, até parece que um motiva o outro a dizer tais blasfêmias. Outro grito ecoou: “Bora lerdo, anda moleza! ” E aquilo ia enchendo-lhe de tal maneira, que já estava suando frio de tanta raiva e começando a pensar em desgraça, falava para si mesmo: “vou bater essa porra no poste e matar todo mundo! ”. E nada parecia irritá-lo tanto do que os risos extravagantes das pessoas. Pensou um pouco e conclui: “não vou fazer isso, porque tenho minha filha pra criar”.

Logo o pensamento ruim afugentou-se dele, assim que o cérebro refletiu a imagem de sua filha. Ufa! Ainda bem que isso só ficou no pensamento, que susto! Quando já estava certo de virar-se e devolver os xingos que havia recebido, porque já estava aponto de explodir, ouviu aquela voz fina de mulher que para ele era inconfundível dizer mais uma vez: 
- Anda sua tartaruga paralítica! . Foi a gota d’água, não se conteve de tanta fúria, puxou o freio de mão, abriu a porta e antes de sair do veículo esbravejou em alto e bom tom: 
- Chega! Pra mim já deu seus desgraçados, agora vão a pé e tomara que todos vocês percam o emprego! Vocês não me mandaram andar, vou andar tchau, fui!”. Falou e desceu bravo virado no jiraia, só voltou para pegar o ônibus quando estava vazio. Ruim com ele pior sem ele!
 Autor: Jostly

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

VOLÚPIA


Teu corpo sobre a cama inflama de tesão
coxas grossas, corpo implorando penetração
Entranhas úmidas, cheirando a excitação
desejo ardente queima como larva dum vulcão.

Seu corpo ferve no calor da paixão
ninfa insaciável entrando em erupção
Beijos e amassos, corpo contorce de desejo
felina selvagem, irresistível tentação.

Murmúrios, suor escorrendo, olhos revirados
Gemidos, sussurros ao pé do ouvido
Respiração ofegante, intenso libido
Quero morrer em teu corpo e fazer dele meu jazido.

Quero perder-me nas curvas do teu corpo
e me achar num vaivém delicioso
Quero entrar no seu vulcão ardiloso
e me queimar nas larvas do teu gozo.
Autor: Jostly

terça-feira, 19 de novembro de 2013

INESQUECÍVEL




“O bom de um momento inesquecível, é que ele tornar-se-á eterno em nossas mentes”
Autor: Jostly

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

ÁGUAS AMARGAS


Diante dos meus olhos, vejo um rio
 Um rio de águas límpidas e claras
 Que se sente a nascente na cara
 Dum pequeno rio sem desvio.

Rio de águas cristalinas e salgadas,
Não molham plantas, nem as aves bebem
Nesse rio, não há quem nele pesque
Pois, não há peixes nestas águas malvadas.

Vejo um rio que nele não se nada
Não se banha, nem se bebe destas águas
É rio de sentimento onusto de mágoas.

Essas águas só molham o meu rosto
Deixa-me cheio de desgosto
Porque é rio de lágrimas amargas.
Autor: Jostly

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

AUSÊNCIA

 “A ausência temporária duma pessoa, 
       significa a presença de algo na vida dela”
Autor: Jostly

terça-feira, 5 de novembro de 2013

MEU AMOR...



     “Não te dou flores porque elas murcham 
   e caem ao chão, te dou  todo 
    o meu amor que está dentro do meu coração”
Autor: Jostly

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

ANGÉLICA


 Chama-se angélica, essa criatura divina
Tem anjo no nome essa bela flor
Nome de mulher e essência feminina
Tens o néctar que encanta o beija-flor.

É das flores, a mais admirada por sua pureza
Seu corpo exala perfume embriagante e delicioso
Protegê-las com zelo e delicadeza
Para que seu requinte fique cada vez mais brioso.

Angélica flor, mulher ou menina.
Não importa a sua forma ou sua figura
São todas da mãe natureza essas criaturas.

Livrai-as das tempestades de amargura
Para que suas flores floresçam com doçura
 E suas almas desabrochem beleza feminina.
Autor: Jostly

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

BÁRBARO



"Não lute contra um bárbaro, ensine-o a compassividade"
Autor: Jostly

sábado, 26 de outubro de 2013

SURDEZ


Nasci com deficiência auditiva
Nem por isso sinto-me diminuído
Não me diferencio de ninguém nesta vida
Por faltar-me um dos meus sentidos.

 Apenas não tenho o privilégio de ouvi
Coisas que vejo e não posso escutá-las
Queria ouvi, o som da chuva ao cair
Umedecendo o solo e plantas orvalhar.

Queria ouvi o bater de asas do beija-flor
 Pairando sobre as flores para se alimentar
E os alegres pássaros nas árvores a cantar
Das abelhas, seus zumbidos ao néctar coletar.

 Harmoniosos sons instrumentais de música tocar
Queria ouvi de você à noite deitados no tálamo
Sua boca dizer em tom normal de voz “eu te amo”
Sem que aparelho auditivo precisasse usar.
 Autor: Jostly

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

PENSAMENTO


" O homem que não pensa, desconhece sua própria existência"
Autor: Jostly

sábado, 19 de outubro de 2013

TARDE DEMAIS



Quando disse-lhe que te amava
Você meu amor, desacreditou
Quando te pedir que me amasse
Você nem ligou.

Agora que eu não te amo mais
Você diz que me ama!
Agora que você me ama, eu não te amo mais.

Quando chorando dizia que te amava
Você meu amor, ria.
Quando chorava por amor, meu bem
Ah! Eu sofria.

Vejo-te chorando dizendo que me ama
Encho-me de alegria!
Porque quando eu quis, você não queria.
E agora vem dizendo que me ama, dane-se!

Pode chorar não vai adiantar
Suas lágrimas, não vão me comover.
 Comparadas as minhas, são poucas.

Pra você vê o quanto dói um “não”
Só se sabe o valor de uma perda sofrendo
Só agora enxergou o amor?
Agora é tarde demais.

 Você deu muita sopa para o azar
Não vá me culpar
Pelo seu sofrimento
Apenas chegou o seu momento. 

De pagar pelo preço da rejeição
E isso dói meu amor, eu sei
O quanto é doloroso um “não”
Mas, a gente aprende a lição.

Não fará com outrem amanhã
O que fez comigo hoje.
Aí está sua evolução.

Já aprendi com você
Já fui seu aluno
Agora sou seu professor
Aprenderá as lições do amor.

Um dia a gente zomba do amor
No outro o amor zomba da gente
Pois, aí está tudo que aprendi
Tudo o que você me ensinou.

Porque agora você é um aprendiz
Enquanto que sou seu professor
Dói muito, né? O que me diz?
Só porque te amava e você não me amou.
Autor: jostly

terça-feira, 15 de outubro de 2013

BELOS TRAÇOS


"Nem o tempo consegue apagar completamente, os traços da beleza  duma bela mulher,ela nasce e morre com eles"
        Autor: jostly

sábado, 12 de outubro de 2013

INFÂNCIA


Jubiloso a brincar
Peralteando a sorrir
Eu era sempre assim
Correndo aqui e acolá.

Nos olhos, o brilho da esperança
Nos lábios, um sorriso infantil
Sorriso que ninguém mais viu
Pois, já não sou mais criança.

Os braços maternos
Eram meus escudos
Que me davam refúgio
Na hora do brado paterno.

No tempo que eu era menino
Deitava no colo materno
Nele adormecia sutil
Tranquilo e despreocupado, meu sono pueril.

Só uma coisa me preocupava 
Era a ausência maternal
Pois, era prejudicial
A minha felicidade perfeita.

Aquele que fora criança um dia
Hoje é homem formado
Mas, se pudesse voltar ao passado
Ah! Eu voltaria.

Para adormecer naquele colo,
Que melhor não havia
Meu sono de criancinha
                                                  Profundo e tranquilo.                                                                                                                               
Agora já estou crescido 
E sinto saudade do tempo
Ah! Que bons tempos!
Aqueles que eu era menino.
Autor: joslty

domingo, 6 de outubro de 2013

ACIDENTALMENTE CEGO


Sou cego de cegueira incurável
Não nasci cego, mas, cego hei de morrer!
Com minhas visões imaginárias
Nesse escuro mundo de escuridão implacável.

Esses meus olhos, hoje inválidos
Já viram coisas de encantadora beleza
Maravilhosas de esplêndida alteza
Hoje só vivem lôbregos e lacrimejados.

Se pudesse escolher entre cego e surdo
Surdo, mil vezes preferia ser,
A ser cego, tudo ouço e nada vejo
Desse fascinante colorido mundo.

Nas profundas trevas tenebrosas
Pergunto-me ouvindo vários arpejos
Para quê olhos, se eles não enxergam
A formosura das cores cautelosas?

Do rio, incolores águas eu vi correrem
Rumo sua infinita e salgada moradia
Coloridas aves que catam em harmonia
Ocultaram-se na escuridão miserável.

Os astros no céu, eu ficava a contemplar
Como eram virtuosos e reluzentes!
Brilhavam numa cor d'ouro fascinante
As estrelas, a lua e a luz solar.

Tudo que dantes vi, era belo e meigo
Os coloridos jardins de flores calmas
E as delicadas faces das belas damas
Vieram a desaparecer, num triste mundo negro.

Ah! Como eu queria rever
A luz do dia, a beleza natural
Os astros no espaço sideral resplender
O sol se pôr, nascer.
Autor: Jostly

terça-feira, 1 de outubro de 2013

RELACIONAMENTO PROIBIDO


Conheceram-se e se apaixonaram
Queriam um amor verdadeiro
De intensa felicidade, casal primoroso
Pais preconceituosos, namorar não deixaram.

O tempo passava e não podiam se ver
O amor aumentava não podiam conter
Era muito forte para esquecer
Seus pais não deixavam o amor florescer.

De tanta tristeza, já não tinham sorrisos
A saudade causava-lhes uma grande ferida
A solidão os agonizava, só há uma saída.

Envenenaram uma taça com bebida
Ingeriram o líquido envenenado, 
Partiram desta vida, foram ser felizes no paraíso.
Autor: Jostly

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

A BELEZA


“O artifício da beleza é tão prejudicial aos homens, 
que além de  cegá-los, ainda é traiçoeiro."
Autor: jostly

sábado, 21 de setembro de 2013

PASSADO




"Quem não relembra seu passado, ainda que doloroso, não tira dele  nenhuma lição, para viver o presente e construir o futuro!"
Autor: jostly



segunda-feira, 16 de setembro de 2013

SOLIDÃO


Às vezes de tão triste eu choro tanto
Que pareço me desmanchar em pranto
Como a neve que se desfaz ao calor solar
Meus olhos  ruborizam-se de tanto lacrimejar.

Onde tu andas meu amor?
Meu coração por ti espera, cansa.
Venha logo sem tardança
Trazer para mim o seu prezar.

A solidão me congela
A minha alma de frio treme,
A melancolia muito me oprime
Contra mim, meu coração se rebela.

Em toda essa supliciada vida
Em busca de felicidade nessa espera árdua
Sinto-me como uma planta descuidada
Que aos poucos vai murchando.

Na cama, o silêncio noturno me tiraniza
Pela fresta da janela, um vendo gélido a silvar
Sua canção fantasmagórica de lúgubres medonha
Essa canção tristonha, que faz a noite adormecer.
Autor: jostly

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

A MÍSTICA SEXTA-FEIRA



  Há um dia na semana que as pessoas da classe trabalhadora anseiam por vir, esse dia é a sexta-feira, não que elas não gostem dos outros dias da semana. Por exemplo, uma segunda-feira maravilhosa para um trabalhador é certeza de que é data de pegar o suado salário ou para quem está desempregado há muito tempo e terá seu primeiro dia de trabalho, não vejo outro motivo para uma segunda-feira ser tão animadora! Isso se tratando de trabalho, lógico. Agora a sexta-feira é tudo de bom! É o dia da libertação da aba dos irritantes chefes que ficam cinco dias da semana em nosso encalço como pedra no sapato! Sai coisa ruim! Só sei que esse dia é lembrado com tanto entusiasmo, que só perde para um fato histórico que ocorreu no século XIX, quando no dia 13 de maio de 1888 a princesa Isabel assinou a lei Áurea que proclamou a abolição da escravatura no Brasil. Mas, já é passado vamos ao presente. 

 As pessoas ficam mais tolerantes diante do visível problema da superlotação no transporte público, se uma pisa no pé do outro ao pedir desculpas o que teve o pé pisado fala: "hoje é Sexta-feira, relaxa” com aquele sorrisão que vai de um canto a outro, vai você pisar no pé de alguém em um dia que não seja sexta-feira que você vai ouvi um sonoro esbravejo: ”Ai meu pé, seu filho da puta, viado! ”. As mulheres não reclamam que estão sendo encoxadas pelos aproveitadores da situação. Agora chegue perto de uma mulher de segunda a quinta dentro de um transporte público para você vê, se não ficar com uma costela quebrada de tanto levar cotoveladas é muita sorte. E assim na sexta tudo fica “Blue”. Fato que merece destaque mesmo é a displicência das pessoas com seus aparelhos de celulares. 

Quem nunca presenciou aquele ou aquela camarada que já está no ritmo da balada, sacar o celular do bolso, colocar aquela música alta “envolvente” porque envolve todo mundo que estar ao redor dele ou dela, o termo correto diria irritante, insuportável... Só quem não utiliza o transporte público é claro! A conversação é outro ponto importante. Tirando a música do camarada aí do lado e o aperto esmagador, não diria que está tudo bem, porque dizer isso dentro de um transporte público ou você é muito hipócrita ou é candidato à reeleição, senão há de concordar comigo. Com todos esses males aí acima, você deve estar pensando: ”Não pode ficar pior”. Enganou-se quem achou que a coisa não podia piorar, a coisa ainda piora sim meu caro. Há um ditado que diz: “Nada é tão ruim que não possa piorar” comprovei isso recentemente.

 De repente, o celular de alguém começa a tocar e a pessoa que atente dá o ar da graça, fala tão alto, que deixa a impressão que um dos dois é surdo! “Alô, é tu Zé? Fala cabra safado e aí como ta tu homi de Deus? ” Todo mundo volta o olhar para ele, exceto o maquinista que a meu ver foi o único no trem que não o ouviu. E ele desembesta a falar com aquele sotaque típico nordestino, nada contra meus conterrâneos, mas convenhamos soa engraçado fala a verdade: “oxente, tu não vai lá pra casa amanhã não, pra gente ‘cumé água’? "Comé água" para quem não sabe é o mesmo que "encher a cara" ou "entornar o caneco" por aí vai..."Vô passar agora no açougue para comprar o gato, tu que não vá viu para ver ”

Outro celular toca, o portador atende no mesmo tom de voz, desta vez, é um desses jovens que falam gíria paulistana: “E aí maluco, beleza”? Brown deixa te dá uma ideia, pô meu, cola lá pra nois ir naquela balada tio. Suave então, hoje eu vou causar, mano tem umas novinhas da hora, hoje vou chapar! O rolé na night vai ser milgrau! E mais um... E outro.... As vozes se misturam e a gente já não consegue decifrar mais nada e não vê a hora de chegar logo o momento de descer para acabar com esse tormento. Ô vida difícil é a vida da gente! Solta o grito de guerra que ficou entalado na garganta. Até que enfim hoje é sexta-feira!   

Autor: Jostly             



terça-feira, 10 de setembro de 2013

HUMANOS





"Os humanos possuem corações com dimensões e pesos praticamente iguais, mas não possuem o mesmo conteúdo de bondade para com seu próximo."
Autor: Jostly

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

SONHO




" Sonhe infinitamente porque uma vida sem sonhos 
é igual a uma  árvore   frutífera sem frutos"
Autor: jostly

sábado, 7 de setembro de 2013

OBSESSÃO FEMININA



Vai sair hoje com alguma mulher? Se a resposta for sim, liga para ela com no mínimo umas três horas de antecedência para ver se dar tempo dela se arrumar para quando você passar para pegá-la, ela já esteja pronta, vai por mim. Sou seu amigo e estou querendo te privar de aborrecimentos! 
Só desconhece essa regra os caras que estão saindo a primeira vez com uma mulher. Coitados, dá até dó deles. Lá vai ele com o peito estufado e o sorrisão estampando no rosto, feliz como um passarinho de primeiro voo! Mal sabe o que o aguarda. Chega à casa dela toca a campainha, adivinha quem vem atendê-lo com a cara amarrada? O sogrão, claro! Quem você pensou que fosse, a fada madrinha? Ele o cumprimenta com desdém, louco para dar uma chave de braço e finalizá-lo! Convida o ‘genro’ para entrar, porém, com certeza está se contendo para não dar um pé na bunda do rapaz. 

O silêncio toma conta do recinto é possível para ouvi o ruído do estômago de tão silencioso! E nada da namorada chegar! Ele que vinha todo feliz e sorridente, agora já começa a xingá-la em pensamento: “Que demora dessa filha da pu...!” Passa meia hora e nada, e o pai dela ali lançando aqueles olhares ameaçadores que dão até medo! O rapaz pensa em fazer o sinal da cruz: “Te arreda satanás, Deus é maior!” Tenta adivinhar o que está se passando com ela lá dentro do quarto: “Deve tá trancada com a mãe, aposto que já penteou o cabelo umas dez vezes, só pode”! Digamos que ele quase acertou, mas a coisa vai muito, além disto, meu amigo. Estão emocionalmente preparados para ver o que se passa lá dentro? Então, vamos ver? Santa mãe de Deus!

 Olhe para lá, eu não acredito no que vejo, ela ainda está enrolada na toalha! Não é que ele acertou! As duas estão no quarto mesmo. Agora não sei quem está mais enrolado, se ela com as dúvidas cruéis para ficar pronta ou se é o camaradinha tenso lá na sala sentado no sofá sofrendo com a presença do sogrão. Começa a seção de dúvidas:
 Filha: - Mãe me ajuda, a senhora fica aí só olhando não fala nada, qual roupa eu devo ir? A mãe respira fundo e tenta socorre-la naquele momento de aflição: 
Mãe - Filha vai com esse vestido aqui, o que você acha? Hum? 
Filha: - Ficou maluca! Ir com esse vestido que parece da minha vó? 
Mãe: - Mas, filha ele fica tão bonito em você.
Filha: - Fala assim, porque não é a senhora que vai usá-lo se fosse eu queria ver ir com ele.
Mãe: - E com essa calça? Essa é linda, hã?
 Filha: - Essa calça que me deixa gorda feito uma baleia, a senhora diz ser linda, me poupe, né mãe!
Mãe:  - Tá bom, filha e essa outra aqui, tá na moda!
 Filha: - A senhora tá me achando com cara de vadia, pra sair com uma calça dessas colada no corpo mostrando praticamente quase tudo!
Quando já tinha revirado o guarda-roupa quase todo, achou uma peça que simpatizou ligeiramente: 
Filha:  - Aqui, achei, acho que vou com esta. Vestiu a roupa e perguntou: - O que a senhora acha mãe?
A mãe respira aliviada e pensa:” graças a Deus, haja paciência com essa menina, coitado do rapaz que tá lá esperando! ”.
Mãe: -Tá ótimo filha, ficou muito linda em você, tá até parecendo a Gisele Bündchen. Brincou a mãe tentando descontrair o momento de tensão. Vai falar que não tá legal pra ver.  Alguém se habilita? Acho que não. Com muito sacrifício achou a roupa que lhe parecia conveniente para a ocasião, vamos falar baixo, acho melhor a gente não comentar mais sobre esse assunto vai que ela muda de ideia!
 A mãe achou que tinha se livrado da falta de poder de decisão da filha. Já estava até saindo do quarto de fininho! E a filha torna a incomodá-la: 
Filha: - Aonde a senha pensa que vai? Vem aqui me ajudar escolher o sapato! Qual a senhora acha que combina mais, o cinza, preto, dourado, marrom, bege...? Meu Deus, quanto sapato! E o coitado do rapaz como será que ele está? Vamos vê-lo, depois a gente volta para ver essa indecisa! Está lá o coitado, com raiva, tenso, suando frio e com seus grunhidos na barriga. Pensa em arriscar um ciclo de amizade com o sogrão, mas, o velho está com cara de poucos amigos, achou melhor deixar quieto, depois voltou atrás motivado pela raiva da demora em esperá-la e foi em frente, falou com voz tremula e amedrontada: 

Genro: - Como é seu nome mesmo? Senhor ou você, como prefere ser chamado? O velho o encarou com aquele olhar desafiador e disse com voz grossa que mais parecia um trovão:
Sogro: - Meu nome é Evilarzio, e pode me chamar de senhor, senhor para você. O rapaz escutou e apenas disse: 
Genro: - Tá bom Sr. Evilarzio, nome bonito esse seu hein, gostei! Por acaso, é por causa do Lázaro da Bíblia? Cara, melhor tu ficar quieto, isso não vai acabar bem, você falando assim todo sem jeito. Ele apenas respondeu: 
Sogro: - Não!
Ele não contente, queria fazer amizade a qualquer custo, o jeito foi apelar para o famoso puxa saco, continuou:
Genro:  - Tá chovendo forte, né? Sabe Sr. Evilarzio, quando eu tiver um filho vou colocar o nome dele de Evilson, para pegar as iniciais do nome do senhor. Ao que o sogro respondeu:
Sogro:  - Tire seu cavalinho da chuva rapaz, que você não vai ter filho com minha filha coisa nenhuma!
Isso bastou para que ele não dissesse mais nenhuma palavra. Voltando ao quarto. Não é que ela está quase pronta, exceto pelo detalhe da maquiagem e a escolha do brinco:
 Filha: - Mãe, a senhora acha melhor ir com esse brinco ou esse? Falou mostrando um par em cada mão. 
Mãe: - Vai com este. Disse a mãe apontando para a mão esquerda da filha. 
Filha: - E se ele não gostar? Acho melhor eu ir com o outro, não com esse mesmo, não com o outro....
Decida-se ô mulher indecisa! Enfim escolheu e o colocou. Foi apanhar o kit de maquiagem que estava em frente ao espelho e falou:
 Filha: - Mãe, qual cor de sombra a senhora acha que fica melhor? Marrom, dourada, preta, azul, lilás...
De novo não! Coitada dessa mãe. 
Realmente as mães têm uma paciência de invejar! Nova pergunta:
 Filha: - Mãe, e o blush?
 Mais uma:
Filha: - Mãe, qual o batom combina mais, gloss, cor-de-rosa, vermelho....

Espero que seja a última porque senão quem vai surtar sou eu! Enfim, a margarida ficou pronta, demorou tanto tempo trancada no quarto que nem percebeu que lá fora estava chovendo, para sua surpresa. Ao ver o pé-d’água que caia, voltou correndo para o quarto trancou-se derretendo em pranto! O pai dela não entendeu nada, o namorado ficou perplexo, dentre os presentes ali naquela sala, só a mãe entendia o sofrimento da filha, afinal, ela também é mulher. Alguém sabe o que a fez entrar em desespero? Gente, claro que foi a chapinha! Chapinha e água não combinam definitivamente.  

Autor: Jostly



terça-feira, 3 de setembro de 2013

INFELICIDADE


Ó Vida amargurada e doentia
Livra-me da escuridão lutuosa
Deixe de ser cruel e impiedosa,
Traga-me sem hesitar a plena alegria.

Deem-me suas coisas formosas
Pois, muito sofro nesse meu dia a dia
Tenha piedade, tire-me dessa agonia,
Traga-me eterna felicidade primorosa.

A dor me sufoca, machuca e me estrige
Acho a vida estúpida e ridícula
Pois, nada tenho para achá-la bonita.

Dor imbecil, porque tanto me aflige?
Por que não me deixa viver em paz?
Vá para o inferno e não volte nunca mais!
 Autor: jostly

domingo, 1 de setembro de 2013

RECORDAÇÕES NOTURNAS


O negro céu da noite nebulosa
Está sem a cor prateada do lunar
Meu pensamento, seu alvo vai buscar
Na fria noite tenebrosa.

Bate em meu peito, tanta saudade
Que em noites frias, me faz chamar teu nome
Chamo-te, chamo e você não responde
Só ouço a incessante agitação da cidade.

Fico a pensar descontente
Aonde anda minha amada?
Nas inúteis procuras, não encontro nada
Só tenho tua imagem refletida em mente.

Nas tristes ruas, vago em pranto
Desatinado, ando solitário
Meus momentos ledos são precários
O luto para aliviá-lo canto.

Canto, mas não por prazer de cantar
E sim, porque a tristeza me obriga
As mais românticas cantigas,
A fim de minha amarga dor aliviar.

O orvalho noturno que cai sobre mim
Molha meu corpo, e deixa-o com frio
À noite, de mim parece zombar e ri
Porque me causa fortes arrepios.

Prossigo a vaguear desatinado
Só o silêncio da tristeza me abrange,
Meus olhos de tanto chorar, não mais reagem
Em meu percurso, em você vou pensando.
                                                     
                              Autor: jostly                                                      

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

SUCESSO OU CURIOSIDADE (PARTE II)



Após um tempo do sucesso da trilogia dos cinquenta tons, comecei a observar certos comportamentos nas pessoas, em especial nas mulheres, porque foram elas quem mais se interessaram por essas leituras cativantes. Parece que estes livros vieram para mudar a vida dos casais mesmo, de fato é verdade que os homens andam mais felizes com suas esposas, percebi que as mulheres que leram os livros deixaram de ser tão tímidas na hora do ato sexual. É que tem cada mulher tímida que às vezes nós homens ficamos um pouco descontentes com tamanha timidez. Tem mulher que é tão tímida nesse momento íntimo a dois, que elas não fazem sexo com a luz acesa, outras se pudessem não ficava desnudas na frente do parceiro, acho engraçado que elas têm mais vergonha de mostrar os seios do que a “perseguida”, digamos que sem querer você esbarra com uma mulher nua, ela para se proteger adivinhe aonde ela vai levar as mãos dando aquele gritinho? Nem preciso falar né?  Já pensou fazer sexo com a luz apagada? Possa ser que tenha pessoas que gostem eu particularmente odeio. 
  
 Se eu não vejo as curvas do corpo feminino não tem graça! Pois bem, acho que não dá certo apagar a luz nesse momento formidável. Meu amigo recém-casado me contou que a mulher dele é tão tímida nesse momento que pede para ele apagar a luz porque senão não tem nada, ou seja, vai dormi com vontade e melar a cueca. Ele para não ficar nesse aperreio fez à vontade dá mulher, foi até lá, pôs o dedo no interruptor que ficava um pouco longe da cama e apagou a lâmpada florescente do quarto, e todo contente com seus pensamentos maliciosos retornou a cama sem maiores dificuldades ainda iluminada pela luz da televisão ligada na sala. Mas, aí a mulher dele achou que ainda estava muito claro e pediu para desligar a televisão. Aí não prestou. Nesse momento o que um homem não é capaz de fazer para saciar a sua fome e acalmar a testosterona, lá foi ele realizar o que a mulher pediu. Desligou a televisão e tudo ficou num breu só, e agora para retornar a cama sem enxergar um só palmo a sua frente? Imaginem vocês a situação, ele totalmente no escuro de pênis em posição de sentido e tendo que procurar a saída para chegar até o quarto novamente. 

 O escuro faz a gente perder a noção do espaço por mais que a gente conheça bem, ele debatendo-se e tropeçando nos móveis, primeiro foi uma cadeira que ele mesmo havia colocado ali minutos atrás, depois deu de testa na parede que fazia divisa com a do quarto, tateando de braços abertos deixou o seu “documento” desprotegido, encontrou a porta do quarto, mas aí o pior aconteceu, já estava com um galo medonho na testa quando tropeçou, bateu de canela no criado-mudo e gritando em uma perna só ai, ai, ai minha canela feito saci, deu com o “lalau” bem na cabeceira da cama, o coitado ficou em posição de sentido até aquele momento depois disto, murchou tão rapidamente igual câmara de ar num instante só e aí acabou a noite maravilhosa! 

Bom, como eu dizia, as mulheres se soltaram mais e para isso bastaram ler só o primeiro da trilogia, aquelas que já estão no terceiro livro encontram-se num estágio mais avançado de desinibição, essas já estão no último da trilogia é o famoso “cinquenta tons de liberdade”. Mais aí tudo bem, não fosse uma pequena observação, percebi que quem está nesse estágio mais avançado da prazerosa leitura anda meio cansada, mas gente, por favor, não vão pensar que é por causa do peso do livro, longe disto. Acho que é pelo feto já está prestes a ter sua liberdade mesmo.
Autor: Jostly

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

CADÊ VOCÊ?


Meus olhos lacrimejados 
Pedem você para confortá-los 
Meu rosto está molhado 
Cadê você para afagá-lo? 

Meus lábios querem seus beijos 
Onde está você para matar meu desejo? 
Meus braços estão vazios 
Cadê você para preenchê-los? 

Meu corpo está em chamas 
Cadê você para acariciá-lo e, 
Minha ansiosa boca beijar? 

Para minhas chamas incendiar e, 
A plena felicidade me envolver 
Preciso de você em nossa cama.
Autor: jostly

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

APENAS VOCÊ


De tudo que há no mundo 
Eu de nada sentiria falta
Se eu tivesse apenas você
Você que é o meu tudo.

Se eu tivesse riquezas, luxúria
De nada adiantaria
Se eu não tivesse você
A vida para mim seria uma injúria.

Você têm tantas magias
Você que têm muitos encantos
Maravilhosa sintonia
Tu és a mais bela flor do campo.

Tu és o sol da minha vida
Tu és a lua do meu anoitecer
Tu és o brilho que me ilumina
A cada dia, a cada amanhecer.

Não existiria tanta melancolia em meu ser
Nem em meus dias e amanhecer,
Nem nas minhas noites e adormecer
Se eu tivesse apenas você.

A solidão não mais me congelaria
De frio, não mais tremeria
Minha alma rejuvenesceria
Se eu tivesse apenas você.

Não me bateria tanta solidão no peito
Nem me sentiria tão solitário assim desse jeito,
Se eu tivesse apenas você
Você, pérola rara da minha joalheria.
Autor: jostly

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

AMOR À DISTÂNCIA


Eu te amo meu amor, quero você perto de mim 
Sem você mergulho num profundo abismo 
Minha alma chora, preciso de você aqui comigo
Para esta maldita infelicidade atroz ter fim. 

Essa saudade insana que invade meu peito 
Sua ausência causa-me ansiedade extrema 
Meu coração palpitante, por você reclama 
O desejo acende a chama que queima por dentro. 

A noite cai e meu pensamento conecta-se a você 
Quero-te tanto meu amor que não consigo espairecer 
Sem você sinto-me como a onda sem o mar. 

Somos como a vida e o alento, o metal e o imã
Como a noite e a lua, o sol e o amanhecer 
Somos dois loucos nessa loucura de enlouquecer. 
Autor: Jostly

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...